quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Está deixando seu emprego? Saiba como agir e evite gafes

Fonte: Universia

Se demitir nunca é uma atitude fácil, especialmente quando é necessário especificar o motivo da saída da companhia. Esse é um momento delicado, que pode afetar muito sua reputação profissional caso algo saia errado.
 Isso acontece porque, por mais que você não queira mais este emprego, a experiência profissional continuará presente em seu currículo e, sem dúvida, seus antigos colegas continuarão fazendo parte de seu networking. Cometer uma gafe ao deixar um cargo pode ser extremamente prejudicial para o seu futuro.

Conheça os cinco tópicos que devem ser evitados na hora de pedir demissão e preserve-se:

Não faça comentários maldosos
Mesmo que você não esteja feliz e sua passagem pela empresa não tenha sido agradável, não é necessário ser rude. Não diga coisas como “esta é a pior empresa em que trabalhei” ou rogue pragas do tipo “espero que esse lugar vá à falência”. Seja profissional, pois, apesar dos pesares, essa experiência fez parte da sua vida e provavelmente te trouxe alguma vivência positiva, mesmo que não seja fácil de identificá-la em um primeiro momento. 

Não faça observações negativas sobre sua equipe
Essa não é a hora para fazer ataques pessoais. Evite citar nomes ou fazer comentários sobre coisas que outras pessoas lhe disseram. Se o mau relacionamento com a equipe foi um de seus motivos para sair, seja honesto, mas não se prenda a episódios específicos. É importante não soar como uma pessoa vingativa, especialmente quando falar sobre seu ex-chefe, afinal, é a ele que seus novos empregadores vão recorrer em busca de referências. 

Não se vanglorie
Não seja arrogante. Por mais que a sua saída seja em busca de um emprego melhor ou que pague mais, não ostente isso, é desagradável. Outra atitude completamente equivocada é presumir-se insubstituível e se valorizar demais, o que pode acontecer ao dizer frases como “boa sorte em encontrar alguém tão bom quanto eu”. 

Não seja evasivo
Ser franco e educado é sempre a melhor opção. Agir na defensiva e se recusar a expor seus motivos para abandonar o emprego são atitudes anti-profissionais. Coloque-se no lugar de seu antigo empregador, você provavelmente gostaria de entender o motivo da quebra de contrato inclusive para melhorar sua companhia. 

Deixe as portas abertas
O futuro é incerto e nunca se sabe o que pode acontecer. Por mais insatisfeito que você esteja ao deixar a empresa, não diga que jamais voltará a trabalhar nela, afinal, as condições podem mudar e a mesma companhia pode vir a te oferecer uma boa oportunidade.

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Cachorros ajudam você a se manter mais jovem

Fonte: Super Abril
Ah, os cachorros. ♥♥♥ Além de serem bons companheiros, ainda fazem bem à saúde – tanto que até ajudam você a ter o pique de alguém 10 anos mais jovem.
Pesquisadores da Universidade St Andrews colocaram um dispositivo eletrônico em 547 idosos, com idade média de 79 anos, para medir o nível de atividade física praticada por eles. Cerca de 9% dos participantes tinham um cão em casa. E eles eram os mais ativos: 12% mais que os outros.
Segundo a pesquisa, apesar das dificuldades da velhice, essas pessoas aguentam, em média,praticar a mesma atividade física que alguém 10 anos mais jovem. E o motivo é simples: eles precisam brincar e sair para passear com os cães. Aí acabam se esforçando para se movimentar mais, com dor ou não.
Além disso, os voluntários também responderam a um questionário. E os idosos donos de cães apresentam menos sintomas de depressão.
E aí? Não vale a pena ter um deles em casa?

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Confira dicas infalíveis para ter bom desempenho no Enem

Fonte: Super Abril


Enem está logo ali, o que significa que os alunos estão ficando cada vez mais preocupados em dar conta de todos os conteúdos trabalhados no Ensino Médio. Contudo, as matérias não devem ser o único motivo para que eles fiquem atentos. Nessa fase final de preparação, eles devem começar a se preparar também com relação ao tempo.

São 90 questões para serem resolvidas num total de 5 horas, ou seja, você terá cerca de 3 minutos para cada uma delas. E o tempo não para. Para não perder tempo, o professor Pérsio Santiago, do Colégio Bandeirantes, de São Paulo, afirmou que os vestibulandos NÃO devem passar o olho na prova primeiro. “O tempo é escasso e, fazendo isso, é possível que o aluno perca o foco. Por exemplo, se ele se deparar com uma questão com a qual ele se sinta desafiado, ocorre um desequilíbrio: ele perde a concentração e, quando se dá conta, há metade da prova para responder em meia hora”. 

Portanto, os estudantes devem tentar resolver a prova de imediato. O docente, no entanto, afirmou que há 7 dicas que ajudarão os candidatos a administrar melhor o tempo. Confira-as:

Conforme você resolva as questões, identifique quais são as mais fáceis
Segundo Pérsio, não há necessidade em classificar as perguntas em fáceis, médias e difíceis. Basta apenas ser capaz de perceber quando se trata de uma questão simples. “Questão fácil é aquela que, olhando para as alternativas, você já mata a resposta, de modo que você não precisa interpretar ou pensar muito para resolvê-las”, esclarece o professor, que acrescenta: “Como ele vai gastar o tempo dele de qualquer jeito, identificando as questões fáceis, ele o recupera quando tiver que solucionar as questões difíceis”.

Não sabe a resposta? Passa
Outra dica para economizar o tempo já é bastante conhecida pelos estudantes: “vá respondendo à medida que você for entendendo que é possível. Mais tarde, volte para fazer aquelas que você não conseguiu”, diz o professor.

Além destas duas formas de lidar melhor com o tempo, o professor de História do colégio paulista ainda discorreu sobre como os alunos devem encarar os diferentes tipos de questão teste:

Teste com imagens
“Quando encontrar teste com caricaturas, por exemplo, examine seus dados, como o autor e a data de produção. Assim, você é capaz de contextualizar a época em que essa imagem foi feita, habilidade geralmente exigida pelo comando da questão”.

Teste com um excerto
“Leia primeiro o comando e depois, se necessário, volte para o texto de apoio e leia-o com cuidado”. O docente assegura que, em muitas questões, não há a necessidade de ler o texto, porque se percebe o objetivo da questão somente pelo comando. Veja um exemplo clicando aqui.

Teste com dois ou mais textos
Pérsio afirma que, nesse caso, é essencial que o aluno “perceba qual é a relação entre eles: são complementares ou opostos?”. Diferentemente da pergunta descrita anteriormente, ler ambos os fragmentos atentamente é requisito para a resolução da questão, já que ela geralmente pede a análise de suas mensagens. Caso você esteja preocupado com o tempo, o professor garantiu que os textos nunca serão muito longos, de modo que ler atentamente os dois seria equivalente a ler apenas um fragmento de uma questão padrão.

Teste direto
“Estes testes são semelhantes aos da FUVEST: algumas alternativas são absurdas, enquanto outras têm detalhes incorretos. Se ele estiver em dúvida com relação a dois itens, opte pela alternativa que se aproxima mais do conhecimento que você tem”, explica o docente.

Agora que você já conhece algumas dicas básicas para lidar bem com o exame que ocorrerá em novembro, não deixe de avaliar seus conhecimentos. Para isso, resolva simulados e provas anteriores e familiarize-se com os moldes da prova.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

15/10 - Dia dos Professores


Professor é uma das profissões mais antigas e mais importantes pelo seu papel na formação do cidadão. Parabéns pelo seu dia!!! :) ������



Chocolate amargo reduz risco de obesidade

Fonte: Super Abril
Além de magro, também deixa você mais inteligente e reduz sua pressão sanguínea. Um sucesso. A culpa toda é dos populares flavonoides do cacau. Mas esses compostos não são sempre iguais – e, até então, os cientistas ainda não sabiam qual era o flavonoide responsável pelos benefícios à saúde.
Quem foi atrás dessa resposta foi um grupo de pesquisadores da Universidade VirginiaTech. Eles separaram ratos em grupos e cada um deles seguiu uma dieta a base de um componente diferente do cacau por 12 semanas. E ficou evidente que aqueles alimentados com procianidinas oligoméricas mantiveram o peso, mesmo com uma dieta bem calórica, e corriam menos riscos de ter diabetes.
Bom, né? Mas sem querer estragar a boa notícia (e já estragando), vale lembrar que os componentes avaliados na pesquisa estavam isolados, sem aquele monte de açúcar e gordura presente no chocolate que a gente compra no mercado. 

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Desvende 4 mitos sobre o cérebro.

Fonte: Universia

cérebro humano é um órgão que desperta muita curiosidade entre cientistas e leigos. Em meio a tantas pesquisas e experimentos, além das perguntas sem respostas, restam também uma série de ideias equivocadas sobre o funcionamento do sistema nervoso. Conheça alguns desses mitos e descubra qual é a verdade por detrás deles:

1 – Usamos apenas parte do cérebro
Quem já assistiu ao filme “Sem Limites” conhece bem esse mito. Eddie Morra, personagem interpretado por Bradley Cooper, é apresentado a um remédio que permite o uso de toda a sua capacidade cerebral para que assim supere seu bloqueio criativo. No entanto, mais do que isso, Eddie torna-se capaz de aprender línguas e fazer cálculos muito complexos rapidamente, além de conseguir se lembrar de tudo o que leu, ouviu e assistiu na sua vida. Um verdadeiro sonho, não?
Sim, pura imaginação. Praticamente toda parte do cérebro é utilizada inclusive quando dormimos, de modo que a maior parte dele está ativa a todo instante. Portanto, a única estatística que se pode falar sobre o uso do cérebro nesse sentido é que suas atividades consomem cerca de 20% da energia do corpo, embora represente somente 3% do peso de um ser humano.

2 – Todo dano ao cérebro é irreparável
É verdade que este é um órgão bastante frágil, mas mesmo assim nem toda lesão é irreversível. O cérebro tem uma plasticidade que permite não apenas a cura ao longo do tempo, mas também que ele volte a fazer novas conexões. A verdade é que nada é irreversível, de modo que a recuperação plena das funções cerebrais depende a região e da seriedade da contusão.

3 –Você usa mais qual lado do cérebro: esquerdo ou direito?
“Pessoas que usam mais o lado direito, geralmente, são mais criativas, enquanto aquelas que usam a outra parte são mais lógicas”. Você provavelmente já ouviu algo do tipo ao longo da sua vida ou então fez um teste para descobrir qual era a sua personalidade, não é? Pois saiba que, apesar das funções cerebrais serem mais vinculadas a determinadas regiões do órgão, ninguém emprega apenas um de seus lados. Pelo contrário, afinal o cérebro funciona melhor quando todo ele é utilizado, mesmo com a predominância de uma das regiões.

4 – Já nascemos com todas as células cerebrais que teremos na vida
Quem continua a manter este mito vivo certamente nunca ouviu falar na Neurogênese. Este processo é responsável pela criação de novas células de determinadas áreas do cérebro na infância e até enquanto as pessoas envelhecem, sobretudo na região chamada hipocampo. Contudo, é verdade o fato de que a maior parte das células cerebrais é produzida durante o desenvolvimento do feto.